25 de set de 2014

A mais mais

É incrível, tenho um monte de postagens paradas na metade que faltam aquele desfecho que faz o texto valer a pena, mas sempre que a inspiração me vem ela já tem um destino e acabo fazendo um texto novo e os que ficaram pendentes simplesmente vão ficando...

Hoje não seria diferente, estou aqui porque algo e/ou alguém me motivou.

Sabe aquele momento quando você tem certeza que tudo é sempre mais do mesmo e que todo caminho vai te levar ao mesmo final, o que você faz?
Imagem: Reprodução


Vou deixar essa resposta para o final.

A gente passa a vida tentando acertar, fazendo as escolhas que julga as mais corretas para ter sucesso e viver momentos de felicidade, sem que para isso seja preciso ferir ninguém, o problema é que em determinado momento da vida a gente sempre cruza com alguém que está buscando a própria felicidade a qualquer preço, inclusive a custa da nossa felicidade.

São pessoas que têm objetivos tanto quanto nós, só que pra essas pessoas alcançar o objetivo que elas possuem vale tudo.  Não considero que tais pessoas estejam erradas, elas apenas veem o mundo de forma diferente e pensando mais além até consigo agradecer a existência de tantas pessoas nesse mundo, são mais de 7 bilhões totalmente diferentes entre si, pois são essas diferenças que nos ensinam a olhar com a devida humanidade o outro e com o amor verdadeiro a nós mesmos.

Isso porque crescemos numa cultura que diz que devemos amar o próximo, mas pera aí, eu lembro que o mandamento não é só amar o próximo!

Às vezes estamos tão focados em fazer tudo tão certinho para que ninguém fique chateado ou ferido e amando tanto o outro que esquecemos o restante do mandamento, como a ti mesmo.

É isso mesmo antes de amar o próximo é preciso se amar primeiro!

E quando você ama algo ou alguém de verdade, o amor é genuíno e incondicional, você move o mundo por esse amor, vive e morre em favor dele, então cadê todo esse amor por você mesmo?

Não é o que dizem por aí, se você não ama a si não tem condição de amar a ninguém mais? E digo mais, você não pode amar ninguém, porque se não sabe se amar como vai saber amar outro ser humano?

É possível que hoje sua colheita esteja escassa, pois em determinado momento você escolheu semear em uma terra que não era apropriada para as sementes que você possuía e tudo isso porque você não conseguiu olhar para si com o devido amor e se julgou incapaz de encontrar um terreno adequado ao que você tinha para plantar. 

Daí voltando para compreender porque aquelas pessoas diferentes de nós são importantes, vemos que é a partir dessas pessoas que passamos a nos olhar com mais amor e respeito, e, a entender que apesar de estarmos em tempos de colheita escassa podemos encontrar terras férteis e que darão bons frutos daquilo que temos a semear.

E a resposta?

Bom se realmente tudo fosse apenas mais do mesmo, não haveria terras férteis e caso você me pergunte se elas existem de verdade vou lhe dizer: 

Ainda estou em busca da minha, mas ao longe avistei uma mais mais, que amanhã pode não ser a minha, mas certamente está a apta a dar bons frutos e quem ali semear terá colheita farta e garantida.

Beijos, Sther! ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário