9 de set de 2014

365 noites

Quem diria que seria assim?

Passadas 365 noites e luas sob minha cama vazia só tento imaginar o quanto amei todas as outras em que ela esteve cheia, cheia de vida, de carinho, cumplicidade, paciência, lágrimas (de dor e alegria, mas sempre divididas), sonhos, planos, objetivos, risadas, piadas sem sentido, fofocas, preocupações e tantas outras coisas que só fazia sentido dividir com você.
Imagem: reprodução


Hoje esqueci das noites pra viver só os dias, eles estão me pedindo cada vez mais que eu esteja aqui por inteiro.

Fui aprendendo a viver e caminhar sem esperar mais que tudo seja perfeito pra mim até no defeitos. Agora quero ser menos que tudo para alguém e quero muito que ninguém nunca mais seja tudo pra mim, assim o dia que se for não ficarei vazia e sem nada.

E hoje relendo cartas guardadas percebo que mudei, a cada dia estou mais longe de tudo aquilo que parecia ser eu, percebo que não me conheço tanto quanto imaginava e penso que se nem eu consigo me reconhecer tão bem quanto antes, acho que você não terá a mínima ideia de quem sou, quando resolver aparecer.

Mas ao longo dessas centenas de noite aprendi a respeitar e entender essas mudanças que nasceram das lagrimas compartilhadas com o orgulho, a solidão, a tristeza e por fim com o que eu queria ser apenas eu.

Agora só desejo sorte para as próximas noites e dias que vierem e que eu continue sendo feliz com a nova forma de ser eu que encontrei. E mais, que um dia alguém totalmente novo e diferente se torne novamente especial ao ponto de que eu queria mais uma cama cheia para dividir tudo aquilo que hoje me tornei egoísta demais para repartir, entrei naquela onda da Ana em seu Estampado sabe, "hoje eu tô sozinha, não sei se me levo ou se me acompanho, mas é que se eu perder, eu perco sozinha, mas é que se eu ganhar aí é só eu que ganho"...

Divertido é pensar nas suas mudanças e que como também não te conheço mais, o novo e o diferente pode ser você mais uma vez.

Beijos, Sther! ;) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário