6 de ago de 2014

Estar sozinho não é ser solitário

Oi gente, bom dia!
Voltei! rsrsrs
Quis escrever ontem à noite, mas preciso aprender a ser produtiva durante o dia e de preferência cedo, pela manhã. Nos últimos dias tem sido difícil funcionar durante o dia.

E essa produtividade noturna 'contida' na madrugada de ontem me fez pensar sobre a diferença entre estar sozinha e se sentir solitária.

"Quem não souber povoar a sua solidão, 
também não conseguirá isolar-se entre a gente."  
(Charles Baudelaire)
Imagem: reprodução
Uma questão muito relevante se pensarmos que na maior parte dos momentos em que dizemos nos sentir só, não estamos falando apenas da companhia de outros e sim da solidão que a alma sente.
  
Estamos tão acostumados a viver rodeados de gente e sempre tão cheios de tantos a fazeres que a urgência de todas as obrigações que estão sob nossa responsabilidade não nos permite ter tempo para ouvirmos a alma dizendo que se sente só e quando nos vemos limitados por qualquer motivo que seja, nessa rotina de correria, que por consequência gera o estresse do qual tanto reclamamos e estamos sempre pedindo uma folga nos damos conta que não estamos tão preparados pra essa folga, porque é nesse momento que paramos e percebemos que o simples fato de parar e ser a nossa própria companhia pode nos angustiar.

Em grande parte desses momentos procuramos pessoas e atividades que não nos permitam parar, olhar pra dentro, ouvir e  pensar, porque temos medo de não saber o que fazer, de não ter todas as respostas, pois estamos tão condicionados a ter sempre todas as respostas para todos que não ter respostas para nós mesmos nos parece um pleno atestado de incompetência, e aí? Pra não correr o risco fugimos disso o mais rápido possível, sempre.

Mas esquecemos ou não percebemos que essa fuga não muda nada, apenas adia um problema que cresce dia após dia e anda permanentemente conosco, porém em determinado estágio se torna impossível de evitar ou simplesmente fingir que tudo está perfeito e nestes momentos, quando ficamos sós e 'desocupados' e somos obrigados a olhar pra dentro, nascem as crises existenciais e o sentimento de solidão. E tudo isso simplesmente porque não somos capazes de nos conhecermos e nos compreendermos, estamos tão acostumados a estar sempre rodeados de tantas coisas e pessoas que não nos entendemos com a nossa própria companhia, não temos autoconhecimento, não sabemos nos divertir com nós mesmos, não enxergamos o prazer e o privilégio existente em estarmos bem sozinhos, mas aí vem a pergunta: 'se nem eu consigo me conhecer, entender, divertir e gostar de estar comigo como os outros podem conseguir?'.
É a partir dessa pergunta que arrisco dizer que estar sozinho é um dos melhores momentos das nossas vidas, porque é quando somos obrigados a olhar pra dentro e encarar, de frente, a solidão interna, entender o motivo de sua existência e fazer com que ela deixe de ser um problema e passe a ser uma solução.

Daí digo algo que aprendi aproveitando minha própria companhia, não seja alguém com quem você gostaria de conviver, seja você e entenda você, para ter a real consciência de como é conviver com você só então terá ao seu lado quem realmente gosta de você.  

Beijos, Sther!

Nenhum comentário:

Postar um comentário