29 de abr de 2013

Benefit começa expansão por franquias no Brasil


Além dos produtos de maquiagem, marca americana aposta em serviços e no ambiente divertido das lojas

A marca de cosméticos americana Benefit vai iniciar sua expansão por meio de franquias no Brasil. Os produtos já estão presentes no país, mas dentro das lojas e do site da rede Sephora. Agora, devem ganhar seus próprios espaços. “É mais difícil expressar o DNA da marca em lojas multimarcas. O melhor lugar para isso são as butiques”, disse Jean-Andre Rougeot, CEO da Benefit, em entrevista a Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

A marca foi criada em 1976 pelas irmãs gêmeas Jean e Jane Ford. Com a proposta de levar diversão ao setor de maquiagem, as duas abriram sua primeira butique na cidade de São Francisco. Os produtos ganharam fama com a venda por catálogos e, na década de 90, começaram ser distribuídos em lojas de departamentos. Em 1999, a empresa, que na época faturava entre US$ 25 milhões e US$ 30 milhões por ano, foi comprada pelo grupo LVMH. Desde então, expandiu-se internacionalmente, chegando a 42 países. O faturamento global deve ser de US$ 900 milhões em 2013.
Divulgação

Essa será a primeira operação de franquias da marca – em outros países, as lojas são próprias ou abertas em sociedade com parceiros locais. A Benefit tem um total de 50 butiques, sendo 25 nos Estados Unidos, e está presente também em lojas de departamentos e multimarcas. Segundo Rougeot, a expansão por franquias permite um controle melhor das lojas e da distribuição dos produtos.

As unidades terão cerca de 70 metros quadrados. Além dos produtos – um mix de cerca de 200 itens com até 15 lançamentos por ano –, oferecerão também depilação e design de sobrancelha. “Os serviços representam 50% das vendas da loja”, afirma Rougeot. Essas atividades são o que traz a cliente de volta – ela retorna para um serviço e conhece as novidades dos produtos.

As equipes das unidades receberão treinamento da matriz e deverão ser compostas por pelo menos um gerente, três maquiadores e três esteticistas. O investimento inicial será de cerca de R$ 800 mil.

A estruturação do franchising está ocorrendo em parceria com o Grupo Bittencourt. Não há uma meta para o número de unidades, e a expansão pode acontecer tanto com franqueados individuais quanto com máster franqueados. A rede está confeccionando os manuais e contratos e deve iniciar a prospecção de candidatos nos próximos seis meses. O objetivo é abrir as primeiras lojas no início de 2014 – os primeiros pontos serão em shoppings de São Paulo. “O mais importante, para nós, é a localização. Não estamos obcecados com o número de unidades”, diz Rougeot.

O público-alvo da Benefit são mulheres com entre 25 e 30 anos de idade, profissionais e bem-sucedidas. Elas têm renda excedente para gastar, são conectadas à internet e buscam a maquiagem como um ingrediente para a autoconfiança. Os franqueados devem ser alinhados com esse target para criar uma clientela fiel. “Nós dizemos que o gerente da loja precisa dar uma festa. Nas butiques, frequentemente há pessoas dançando, maridos, filhos”, afirma Chloé Renard, gerente da marca no Brasil. “Há até biscoito para os cachorros.”

Fonte: PEGN

Nenhum comentário:

Postar um comentário